Governo reúne gestores de saúde de 364 municípios para debater avanços e desafios do setor

 Com o objetivo de debater os avanços e desafios do Sistema Único de Saúde (SUS) na Bahia, bem como aspectos relacionados à vigilância, regulação, medicamentos e financiamento, a Secretaria da Saúde do Estado da Bahia (Sesab) e o Conselho Estadual dos Secretários Municipais de Saúde (Cosems/BA) reuniram representantes de 364 municípios baianos nesta terça-feira (7), no hotel Fiesta, em Salvador, no Seminário de Integração da Gestão da Saúde, que segue até esta quarta-feira.

O secretário da Saúde do Estado da Bahia, Fábio Vilas-Boas, apontou que a busca pela eficiência deve ser a meta de todo gestor público, sobretudo, daqueles que atuam na área da saúde. “Em um cenário nacional de grave subfinanciamento, o recurso público é ainda mais escasso. Como ofertar mais serviços de saúde com o mesmo recurso ou menos? Repensar os fluxos, capacitar os profissionais e investir nas ações que sejam, de fato, resolutivas, é a forma mais adequada de alcançar este objetivo”, afirma Vilas-Boas.

Um dos exemplos de otimização do gasto público são os Consórcios Públicos de Saúde, na qual os entes consorciados rateiam os custos de um serviço, possibilitando simultaneamente, a ampliação e descentralização da assistência, bem como o reequilíbrio financeiro dos municípios. Na Bahia, quatro policlínicas regionais de saúde estão em construção e com obras aceleradas, em Jequié, Teixeira de Freitas, Irecê e Guanambi. Com previsão de inauguração no primeiro semestre de 2017, as unidades serão geridas de forma compartilhada entre municípios e o Estado, por meio do consórcio.

“A meta é construir 28 policlínicas até o final de 2018, possibilitando que as pessoas não precisem mais se deslocar para a capital a fim de fazer exames. As policlínicas oferecerão até 13 especialidades, além de serviços de apoio ao diagnóstico como radiografia, tomografia, ultrassonografia, endoscopia e ressonância magnética”, afirma Vilas-Boas.

A secretária de Saúde de Jaguaripe, Larissa Costa, reforçou a importância de ter acesso às informações de gestão do Sistema Único de Saúde. “Essa proposta de possibilitar a integração dos gestores da rede é muito importante, pois, além do contato mais próximo com a gestão estadual e com o Cosems, permite a troca de experiência entre os gestores municipais”, disse  Larissa Costa.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s