13 benefícios que uma agência de marketing político digital pode trazer para uma candidatura

Nas últimas eleições houve uma total correria pelas campanhas políticas usando marketing político digital. A procura foi grande e as confusões de juízo de valor dos serviços foi maior ainda levando muitas campanhas à derrocada. A troca do profissionalismo pelo improviso barato é uma tragédia na área do marketing político digital.

Abaixo listamos os porquês de se contratar uma agência especialista.

1.Preparar a infraestrutura mais adequada

Site profissional, Fanpage verificada oficial, Instagram, Canal do YouTube otimizado com tags, cards e legendas, ferramenta de email marketing, ferramenta de automação de outras redes, automações para WhatsApp e disparo de SMS e, dependendo do porte da campanha, ferramentas de reports sociais. Tudo isso são exemplos de infraestrutura digital necessárias para uma operação de marketing político digital completa.

2.Montar as iscas que levem a retenção de dados e contatos

Plugins que levam o visitante ao WhatsApp da campanha, formulários com chamada para a acesso a algum conteúdo premium, plugins de retenção e unificação de contatos, CRM.

3.Tratar o conteúdo para que seja bem recebido pela audiência

O conteúdo é necessário e a forma como o conteúdo é apresentado é um ponto fundamental para o engajamento. Mesmo a estética mais rude requer profissionalismo para que a mensagem seja bem recebida. Isso cabe a profissionais.

4.Analisar dados de engajamento localizando os grupos de maior aderência

Avaliar o perfil do visitante que mais tem se envolvido com as publicações, localizar e fidelizar os mais constantes, são exemplos de análises que podem ser feitas. Tudo leva o profissional de marketing traçar um perfil do potencial eleitor e tomar decisões de conteúdos que levam a uma maior conversão e otimização dos gastos da campanha.

5.Potencializar o alcance usando técnicas de impulsionamento

Um calcanhar de Aquiles das campanhas improvisadas são os impulsionamentos usando as automações do Facebook. A rede acaba induzindo a gastos desnecessários e impulsionamentos mais amplos quando, o ideal, é a combinação de critérios de acordo com personas previamente traçadas de acordo com o conteúdo.

6.Produzir conteúdo especialista

Conteúdo especialista são os tratados com otimizações para as buscas do Google e estudados de acordos com as personas definidas nos estudos prévios.

7.Adequar a campanha às leis vigentes evitando multas e até cassações

As regras do TSE costumam carregar armadilhas nem sempre fáceis de detectar. No geral, o órgão é bem aberto às campanhas digitais mas os artigos muitas vezes misturam itens e termos que induzem à interpretações equivocadas. Um profissional tem por obrigação atender à risca aos critérios da publicidade digital.

8.Filtrar o conteúdo mais adequado

Nem tudo o que o candidato pensa em publicar é adequado para as redes sociais ou para o site. Saber conduzir a candidatura alertando para os conteúdos mais prováveis é função do especialista.

9.Dar apoio à decisões estratégicas mediante análise de dados

O tráfego no site e nas redes sociais carregam metadados importantes que permitem apoio à decisão. Dados demográficos, geográficos, comportamentais dizem muito sobre o seu potencial eleitor e podem ser usados como base para conteúdos.

10.Evitar erros comuns quando misturam técnicas políticas ortodoxas com as tecnologias digitais

Transpor elementos da publicidade política tradicional como santinhos e logos de partidos são erros comuns mas, há piores e que são um verdadeiro tiro no pé em uma campanha de marketing político digital. Um agência pode precaver esses desastres eleitorais.

11.Baratear impulsionamentos pelo refino do targeting

O Facebook cobra por timeline atingida, o Google normalmente cobra pelo clique. Fazer combinações que permitam que se chega até a pessoa certa uma das funções das agências. As plataformas de marketing digital são verdadeiras ferramentas de business intelligence e conseguem bons resultados quando operadas profissionalmente.

12.Otimizar a geolocalização do alcance

Erro bastante comum nas campanhas é o envio dos impulsionamentos para regiões de pouco ou nenhum interesse para a campanha.

13.Produzir peças mais adequadas

Tanto o Google, quanto Facebook e Instagram permitem que se impulsione qualquer conteúdo ultimamente. No entanto, eles conservam resquícios de regras antigas dando mais alcance para peças que seguem à risca suas regras. As agências sabem compor peças que tenha o maior alcance x custo.(DINO)

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s