Lideranças de diferentes regiões avaliam perspectivas do turismo corporativo em 2022

Executivos da ABEOC, RioCVB, Empetur, Paraná Turismo e SPCVB falam sobre fomento, tecnologias, novos destinos e importância estratégica do segmento MICE

– O aquecimento do segmento MICE, que também engloba o turismo corporativo, tem sido constatado nos aumentos das convenções presenciais, opções de destinos e oportunidades de negócios. De acordo com o Ministério do Turismo (Mtur), o número de eventos previstos para 2022 mais do que triplicou, passando de 200, registrados em fevereiro, para 741contabilizados em abril, no Calendário Nacional de Eventos – que inclui feiras, shows, festas, entre outros. É diante deste cenário, que a 20ª edição da Feira EBS, promoverá o Congresso MICE, nos dias 01 e 02 de junho, no Centro de Convenções Rebouças, em São Paulo.

O objetivo dos organizadores é conectar gestores, analistas e demais profissionais para analisar e debater a importância econômica da atividade, as novas tendências, inovações, apresentar novos produtos e as novidades da área, além das características de cada região, promovendo uma jornada de atualização e conhecimento.

Coordenador de eventos e marketing na Paraná Turismo, André Poletti, conta que o retorno dos eventos MICE, aliado ao engajamento das associações organizadoras, tem favorecido regiões que não eram tradicionalmente escolhidas. “Com o retorno do público, tivemos um crescimento em viagens de incentivo, premiação e turismo de negócios em Curitiba e Foz de Iguaçu, já considerados destinos nacionais e internacionais, mas também em cidades como Londrina, Maringá, Cascavel, Guarapuava e Ponta Grossa, que têm atraído números significativos de feiras e todas já têm seus Convention & Visitors Bureaus”. O estado também tem apostado no programa MICE Paraná, desenvolvido em parceria com o Sebrae, para atendimento dos encontros de negócios.

Em Pernambuco, Rodrigo Sobral, executivo comercial da unidade de captação da Empresa de Turismo de Pernambuco (Empetur), afirma que a cidade também tem registrado grande movimentação no turismo corporativo neste início de ano. “A retomada do setor deixou esse mercado muito aquecido e com grande procura para eventos de negócios, fazendo com que a oferta seja menor do que a demanda e com feiras e congressos já programados até 2024 para os equipamentos administrados pela Empetur”.

Sobral ainda destaca que iniciativas também têm sido desenvolvidas para estimular a realização das feiras e congressos na região, entre elas, “a associação da Empetur ao Recife Convention & Visitors Bureau, as visitas às entidades e organizadoras, a promoção da Fam Business para fomento do segmento MICE e, também, do Centro Cultural Cais do Sertão e Arena Pernambuco, como novas possibilidades de acomodar os eventos deste setor”.

Considerada o polo do segmento MICE, na cidade de São Paulo, a retomada está no auge, mas empresas organizadoras não devem abrir mão dos planos de atuação, conforme afirma Toni Sando, presidente da Unedestinos e da São Paulo Convention & Visitors Bureau (SPVCB). “A agenda está movimentada, pois muitos eventos previstos para os últimos dois anos estão sendo realizados agora, e se unem com um leque dos que estão represados. A perspectiva para os próximos meses é a consolidação em uma nova etapa, na qual serão injetados novos recursos; e o crescimento da confiança dos organizadores e entidades que ainda não confirmaram a data de seus congressos. Mas, é preciso ter cautela e seguir com um planejamento estratégico de gastos e investimentos. A agenda se mostra rica no momento, entretanto, muitas feiras e congressos que estão sendo realizados são do orçamento de 2020, já pagos”.

Sobre a importância do segmento MICE para o estado, Sando esclarece que este é o principal “indutor de turismo, principalmente na capital, representando mais da metade dos 15 milhões de visitantes anuais, com números pré-pandemia”.

O executivo ainda aponta quais deverão ser as perspectivas para a área. “O setor sempre contou com novidades que impactaram seu funcionamento, com tecnologia e tendências e se atualizar é uma atividade perene. Entretanto, avançamos 20 anos desde 2020, por conta da pandemia e as restrições que ela impôs. Então, a troca é essencial, para o sucesso da busca por soluções aos desafios da modernidade. Neste ano, temas como metaverso, reuniões híbridas, segurança da informação e saúde pública deverão permear os debates”.

Eventos em destaque, mudanças e entusiasmo

Após o hiato de pouco mais de um ano, o turismo corporativo voltou a movimentar o mercado em 2021. É o que destaca Roberta Werner, diretora executiva do Rio Convention & Visitors Bureau (RioCVB), “a retomada teve início no segundo semestre do ano passado, de forma mais modesta. Neste período, o mercado começou a demonstrar interesse em voltar a realizar eventos presenciais. Em 2022, com o excelente número de vacinados no Estado do Rio de Janeiro, o mundo corporativo recuperou nitidamente sua confiança e as feiras e congressos voltaram a acontecer na cidade com toda intensidade”.

Segundo a executiva, entre os do segmento MICE mais recorrentes neste ano, estão os relacionados a mercados como inovação e tecnologia, energia, esporte e sustentabilidade. “Todos com muita sinergia com o destino”, acrescenta.

Mas não são apenas os temas que chamam a atenção. O retorno presencial das feiras e congressos de negócios também tem trazido algumas mudanças impulsionadas nos últimos dois anos e, que passaram a fazer parte da cultura organizacional por permitirem a expansão do número de participantes, caso das plataformas on-line.

“As mudanças ocorreram e as novidades vieram para ficar, possibilitando a realização de eventos híbridos. Então, por exemplo, uma palestra que antes era feita em uma sala para 500 participantes, agora pode contar com público de 1000 pessoas ou mais, já que existe a possibilidade de acompanhamento virtual. O formato é excelente e permite que mais pessoas tenham acesso à programação das feiras. Além disso, tem o credenciamento digital e também uma maior utilização de QR code para informações de forma prática, entre outras ações”, explica Fátima Facuri, presidente da Associação Brasileira de Empresas e Eventos (ABEOC).

Oportunidade

O Congresso MICE é uma oportunidade para os profissionais que atuam com turismo de negócios e eventos conhecerem quais serão os próximos passos do segmento pela ótica dos principais nomes do setor. Este é apenas um dos destaques da grade de programação da Feira EBS, que ainda contará com a presença de mais de 60 expositores, apresentando destinos, produtos e muitas novidades do mercado, e o speed metting (rodada de negócios).

Participando pela primeira vez, André Polleti destaca a expectativa. “Estamos desenvolvendo um trabalho para levar todos os conventions & bureaus do Paraná e as estruturas que temos como promotores e organizadores. O relacionamento que se cria no ambiente de uma feira é importante e acreditamos que a EBS irá atender essa demanda que temos aqui no estado”. 

Autor: Palavra Digital

Sou escritor e jornalista

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: