Ministro defende presença do setor privado na questão do saneamento

O setor público não tem condições financeiras de solucionar o problema de saneamento do Brasil, disse hoje (21) o ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, ao participar do seminário em comemoração ao Dia Mundial da Água, promovido pela Secretaria de Estado do Ambiente e Sustentabilidade do Rio de Janeiro (Seas) em parceria com o Tribunal de Justiça do Estado (TJRJ). O evento está sendo realizado na sede do tribunal, no centro do Rio.

O ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles e o governador do Rio, Wilson Witzel, participam de seminário sobre a água na sede do Tribunal de Justiça do Estado (TJ/RJ), no centro da cidade

O ministro Ricardo Salles, em evento comemorativo do Dia Mundial da Água – Tânia Rêgo/Agência Brasil

Para o ministro, não haverá melhorias na qualidade urbana, sobretudo, no saneamento, se não for definido um arcabouço regulatório, convidativo à participação do setor privado. “O setor público não vai resolver o problema de saneamento. Nós temos um problema de saneamento gigantesco em todo o Brasil. Não há recursos na área pública para fazer isso e, tampouco, agilidade e a estrutura para que isso chegue a contento em um curto espaço de tempo. É preciso transferir uma parcela significativa desse encargo para a participação do setor privado”, disse.

Segundo Salles, para atrair o setor privado, o modelo regulatório precisa ser lógico e racional. “Não adianta dizer que concorda e fazer o sistema regulatório que é anti-investimentos. Aliás esse é um problema que permeia muito a área ambiental. Quando se fala na necessária harmonização do desenvolvimento econômico com o meio ambiente é porque sem desenvolvimento econômico não há recursos para rodar no meio ambiente.”

O ministro defendeu mais pragmatismo nas discussões dessa agenda. “É preciso ter muito pragmatismo nessa hora, ter muita responsabilidade, senso do dever e o reconhecimento das limitações práticas que todos temos, cada um em sua respectiva área. Não adianta construir um sistema que fica só fica de pé na chamada CNTP, condições normais de temperatura e pressão. Quando põe no mundo real, o modelo desaba. Não adianta. Vamos ficar nos enganando que a solução para o lixo, o resíduo, o saneamento passa por diversas medidas que na prática nós sabemos, em certos casos, nunca vão chegar à solução propriamente dita”, disse Salles. Ele acrescentou que é necessário reconhecer os problemas, traçar uma estratégia e perseguir.

Ricardo Salles criticou ainda o funcionamento das agências reguladoras. “O estado brasileiro cresceu demais, inchou demais e nem, por isso, significou qualidade dos serviços. Isso se reflete em várias das agências regulatórias, nos vários braços estatais nos diversos níveis dos municípios, dos estados e do governo federal. Hoje tem um inchaço da máquina com um custo de manutenção gigantesco e uma verba para investimento quase inexistente”, afirmou.

O ministro citou como um dos problemas neste serviço, a falta de técnicos para acompanhar o desempenho das barragens, “O que acontece, em especial, com as barragens? No que fiz respeito à Agência Nacional de Mineração, são 12 técnicos para cuidar de todas as barragens do Brasil inteiro e há, enquanto isso, milhares de cargos em comissionamento, ou cargos criados nos últimos anos de governo para colocar gente lá dentro, cuja a única qualificação é uma carteira de filiação partidária”, observou.

Segundo o ministro, há um desvirtuamento das prioridades. “A gestão, a eficiência, parecem palavras frias desconectadas de valores como meio ambiente, ou saneamento, ou qualidade de vida, mas elas são instrumento essencial para que esses valores alcancem o seu resultado”.

Judiciário

De acordo com o ministro, o Judiciário tem sido um grande depositário das garantias e das defesas da área ambiental. “Muitos dos absurdos que vemos acontecer por questões ideológicas, questões comerciais disfarçadas de boas maneiras, felizmente, encontram no Judiciário a colocação dos pontos no seu devido lugar. É o Judiciário que é justamente o repositório dessas garantias do bom senso e da aplicação da responsabilidade dos valores”.

Ricardo Salles assegurou que a agenda ambiental urbana é prioridade do Ministério do Meio Ambiente. Segundo ele, o Brasil deixou para trás temas como tratamento do lixo, resíduos, saneamento e diversos outros temas que são o principal termômetro para demonstrar o subdesenvolvimento no país,no que diz respeito às qualidades de vida e ambiental urbana.

“Quando se fala de temas como em desmatamento da Amazônia e mudança climática, do outro lado da rua, há criança brincando em um córrego sem tratamento de esgoto, o lixo sendo descartado de maneira absolutamente irregular, aterros [que são] verdadeiros lixões Brasil afora. Esta é a verdadeira prioridade de uma agenda de qualidade ambiental, para uma população que é obrigada a conviver com esse caos que é o atestado de subdesenvolvimento do nosso país”, afirmou o ministro.(Agência Brasil)

Anúncios

Programas e projetos consolidam parceria com a Uesc

Programas e projetos consolidam parceria com a Uesc

O  prefeito de Ilhéus, Mário Alexandre discutiu com a reitora da Universidade Estadual de Santa Cruz (Uesc), professora Adélia Maria Pinheiro, o andamento de programas que consolidam um conjunto de projetos e outras ações de extensão, preferencialmente de caráter multidisciplinar integrado às atividades de ensino e pesquisa no âmbito municipal. O encontro foi realizado na reitoria da universidade e teve a participação de assessores e técnicos das  duas instituições.

 “A educação tem sido uma das principais preocupações da nossa gestão. A mesa de discussões visa não apenas a resolver os problemas existentes, mas a execução de projetos fundamentais para a nossa cidade. São mais de oito convênios envolvendo as áreas de Educação, Saúde, Indústria e Comércio, entre outras.”, salientou Mário Alexandre.

A reitora Adélia Pinheiro afirmou que a universidade está de portas abertas para receber o governo municipal, auxiliando sempre que for necessário. Informou ainda,que permanece à frente da Uesc até o mês de abril, quando, assumirá a Secretaria de Ciência, Tecnologia e Inovação do Estado (Secti), conforme indicação feita pelo governador da Bahia, Rui Costa. Ela será substituída pelo vice-reitor, professor Evandro Sena Freire.

Cidade Digital

O prefeito aproveitou para falar sobre o Programa Cidade Digital, criado pelo Governo Federal. Na época, lembrou o gestor, o município encaminhou uma lista de 40 localidades que poderiam integrar a rede de comunicação local. A iniciativa democratiza o acesso à internet, com sinais em praças públicas, reduzindo a desigualdade e promovendo a geração de emprego e renda. A futura titular da Secti assegurou que internet de qualidade na região será, entre outras, uma das suas principais metas no governo do estado.    

Defesa de Temer diz que prisão não tem fundamentos

O advogado do ex-presidente, Michel Temer, Eduardo Carnelós, disse hoje (21), por meio de nota, que a prisão de Temer não tem fundamentos. Segundo o defensor, não existem provas de que ele teria participado do esquema de propinas nas obras da Usina Nuclear de Angra 3, conforme afirma o Ministério Público Federal.

“Resta evidente a total falta de fundamento para a prisão decretada, a qual serve apenas à exibição do ex-presidente como troféu aos que, a pretexto de combater a corrupção, escarnecem das regras básicas inscritas na Constituição da República e na legislação ordinária”, diz o comunicado.

Para Carnelós, a prisão está baseada apenas em depoimento de um delator, sem comprovação. “Os fatos objeto da investigação foram relatados por delator, e remontam ao longínquo 1° semestre de 2014. Dos termos da própria decisão que determinou a prisão, extrai-se a inexistência de nenhum elemento de prova comprobatório da palavra do delator, sendo certo que este próprio nada apresentou que pudesse autorizar a ingerência de Temer naqueles fatos”.

O defensor disse que a prisão é um dos “mais graves atentados ao Estado Democrático e de Direito no Brasil”.

Prisões

Michel Temer e o ex-ministro de Minas e Energia Moreira Franco, presos hoje, são acusados de receber propina de obras relacionadas à Usina Nuclear Angra 3, no Rio de Janeiro. As prisões preventivas foram pedidas pelo Ministério Público Federal e determinadas pelo juiz da 7ª Vara Federal Criminal, Marcelo Bretas, no âmbito das operações Radiotiatividade, Pripryat e Irmandade, desdobramentos da Lava Jato, e que investigam os pagamentos ilegais a políticos durante a construção da usina nuclear.

Na investigação, são apurados crimes de corrupção, peculato e lavagem de dinheiro, em razão de possíveis pagamentos ilícitos feitos por determinação do empresário José Antunes Sobrinho, da empresa de engenharia Engevix, para o grupo criminoso, supostamente liderado por Michel Temer, bem como de possíveis desvios de recursos da Eletronuclear para empresas indicadas pelo referido grupo.

De acordo com o MPF, foi identificado sofisticado esquema criminoso para pagamento de propina na contratação das empresas Argeplan, AF Consult Ltd e Engevix para a execução do contrato de projeto de engenharia eletromecânico 01, de Angra 3.

A Eletronuclear contratou a empresa AF Consult Ltd, que se associou às empresas AF Consult do Brasil (que tem a participação da Argeplan) e Engevix. A Argeplan seria ligada, de acordo com o MPF, a Michel Temer e ao coronel João Baptista de Lima Filho (amigo do ex-presidente).

A Justiça Federal também determinou as prisões preventivas do coronel Lima; da esposa do coronel, Maria Rita Fratezi; de Carlos Alberto Costa; de Carlos Alberto Costa Filho; de Carlos Alberto Montenegro Gallo; e de Vanderlei de Natale. Também foram determinadas as prisões temporárias de Rodrigo Castro Alves Neves e Carlos Jorge Zimmermann.(Agência Brasil)

Chuvas torrenciais provocam alagamentos em Ilhéus e Itabuna

As chuvas intensas que caíram em Ilhéus e Itabuna provocaram alagamentos e deslizamento de terras nas duas maiores cidades do Sul da Bahia. Em Ilhéus a Defesa Civil contabilizou 27 ocorrências e   duas famílias ficaram desabrigadas em função do desmoronamento de suas casas no loteamento da Fazendinha. Não foi informado o número de pessoas desabrigadas.

Segundo o coordenador da Defesa Civil, Joandre Neres,  durante a tempestade ocorrida na madrugada choveu cerca de 99 milímetros na cidade, um nível  muito acima do esperado, provocando deslizamentos de terras no Alto da Legião, do Amparo, da Esperança, do Nerival, do Coqueiro, bem como no Basílio e na  Fazendinha.

Também foram registrados alagamentos nos bairros São Francisco, Nelson Costa, Teotônio Vilela e Residencial Cachoeirinha, bem como nas  avenidas Soares Lopes, Bahia, Maria  e  Ubaitaba.

Itabuna

Itabuna foram registrados alagamentos nas Avenidas Ilhéus e Inácio Tosta Filho bem como em vários pontos da cidade. A previsão é de mais chuvas, mas com menor intensidade nas próximas horas.

Lideranças regionais discutem Agência de Desenvolvimento Regional

Uma agência de desenvolvimento capaz unir forças e competências de representantes da sociedade para a execução de projetos que visam o desenvolvimento da Costa do Cacau. Este é o objetivo da proposta de modelo de uma Agência Regional apresentada às lideranças regionais no auditório do hotel Tarik Fontes, em Itabuna pela empresa Macroplan, em parceria com o Sebrae e o Instituto Arapyaú.

A iniciativa é fruto do programa Líder do Sebrae que, ao longo de oito módulos, foi construído um Plano de Desenvolvimento Regional voltado aos eixos temáticos de Educação, Infraestrutura, Paisagem e Meio Ambiente e Economia. O projeto contempla a participação da sociedade civil, autoridades do Poder Público Municipal e Legislativo, instituições e entidades dos municípios de Ilhéus, Itabuna, Itacaré, Uruçuca, Canavieiras e Una.

O diretor da empresa Macroplan, Gustavo Morelli, destacou que o modelo de Agência Regional foi constituído a partir de uma longa pesquisa realizada em todo o Brasil para se chegar a um formato mais adequado para a região.  

“Estaremos discutindo e validando esse modelo para que, definido e validado, selecionado a estrutura, o desenho da agência de desenvolvimento da Costa do Cacau possa passar para a próxima fase, que é a formalização e implantação da Agência de Desenvolvimento da Costa do Cacau”, afirmou.

Com a possibilidade de articular competência e recursos que viabilizem a execução de projetos, a gerente regional do Sebrae Ilhéus, Claudiana Figueiredo, acredita que “a partir desse momento, com a agência em fase de implantação, nós vamos poder ancorar diversos projetos de desenvolvimento do Sul da Bahia e tocar, de forma mais rápida, o desenvolvimento de maneira orgânica, sustentável e inclusiva com a participação da sociedade civil organizada”, destacou, enfatizando as ações que serão trabalhadas para o desenvolvimento dos pequenos negócios.

Responsável por aportar a consultoria específica para a criação da Agência, o Instituto Arapyaú é parte integrante do Sul da Bahia Global e esteve representado pelo gerente de programas, Ricardo Gomes. A expectativa, segundo ele, é validar o modelo e ganhar a adesão por parte do segmento empresarial.

“Não dá para não ter o tripé de uma sociedade envolvida, que é o Poder Público, a sociedade civil e o movimento empresarial. Todos eles unidos em favor de um projeto que venha contribuir para o desenvolvimento empresarial, com certeza a gente tem mais chance de ter êxito”, avaliou.

Representações

O encontro reuniu ainda representantes do segmento empresarial, a exemplo do presidente da Câmara de Dirigentes Lojistas – CDL de Itabuna, Carlos Leahy, que estará participando dos projetos da Agência.

“É uma oportunidade de ficar sabendo de todos os projetos e tendências, o que pode ser feito para melhorar a nossa região. Itabuna centraliza uma grande quantidade de municípios que consomem do comércio e serviço. Então, temos que pensar enquanto região”, enfatizou.

Também presente no evento, o coordenador executivo da Associação dos Municípios do Sul, Extremo Sul e Sudoeste da Bahia – Amurc, Luciano Veiga, apontou sobre a necessidade de pensar a região como um todo. “Pensar desenvolvimento de uma forma global”, acrescentou.

Segundo ele, não dá para desenvolver uma cidade em detrimento de outra localidade, tendo em vista a capacidade logística, de produção, do turismo e outras áreas. “Nesse contexto, entra o espírito de associação, consorciamento, do envolvimento da participação dos municípios, que cada um faça a contribuição dos seus potenciais para que a gente, de fato, consiga desenvolver”, completou.

Semana do consumidor registra tráfego maior no e-commerce

OA Linx, especialista e líder em tecnologia para o varejo, registrou aumento no tráfego do e-commerce durante a semana do dia do consumidor, celebrado no dia 15 de março. Em comparação com as três semanas anteriores, houve um crescimento de 19,3% no interesse por itens online durante o período da data promocional.

Este número representa um aumento de 50% em relação à variação do ano anterior. Entre os produtos mais comprados, estão itens das categorias Eletrodomésticos, Eletrônicos e Acessórios (geladeiras, fogões e máquinas de lavar), Bebê e Infantil (berço, cômoda e guarda-roupa) e Moda e Acessórios (calças, blusas e camisetas).

Os dados apontam ainda que as ações promocionais fizeram a diferença nas vendas destes segmentos. Em Eletrodomésticos, Eletrônicos e Acessórios, 87,72% das vendas foram frutos de promoções. Ainda neste sentido, os destaques que vêm em seguida são Bebê e Infantil (87,29%), Casa e Decoração (82,82%) e Moda e Acessórios (51,95%).

Do dia para a semana

De acordo com a Linx, o Dia do Consumidor vem tomando proporções de ‘semana’ nos últimos anos. Isso porque o varejo começou não só a aproveitar a data para realizar ações especiais, mas também estendeu as condições especiais para os dias que cercam o tão esperado 15 de março.

Para chegar a esses números, a Linx analisou o desempenho de um grupo de varejistas ativos em sua base de clientes tanto em 2018 quanto em 2019. Segundo a empresa, esses lojistas receberam um número de pedidos 18% superior e faturaram 20% mais em relação às semanas que antecederam o período da data promocional.

TMI recebe copa de fisiculturismo e espetáculos infantis

O Teatro Municipal de Ilhéus (TMI) é palco para diversas apresentações artísticas e culturais durante o ano. Até o final deste mês, traz para o público uma copa de fisiculturismo e mais dois espetáculos para encantar a criançada. No sábado (23), a Copa Ukazal de Fisiculturismo abre a programação, das 9 às 20 horas. O ingresso custa R$ 20,00 (inteira). E no último final de semana do mês, acontece o musical infantil “Peter Pan”, nos dias 30 e 31, às 17 horas.

Pela primeira vez em Ilhéus, a Copa Ukazal de Fisiculturismo nasce da proposta de socializar jovens e adultos, promover o espírito de competição, difundir o fisiculturismo na região e no âmbito nacional, dar visibilidade à cidade e fortalecer o destacando o turismo esportivo local. O evento contará com a participação grandes nomes do fisiculturismo mundial na mesa de arbitragem, entre eles o primeiro atleta com síndrome de Down do país, Thiago Pinto, que é filho de Ilhéus, e vem despontando no cenário nacional.

Peter Pan – Baseado no clássico de J.M. Barrie, o musical com direção e produção de Cristina Barretto, conta a história de Peter Pan, um menino que se recusa a crescer e enxerga a vida como uma grande aventura. Após perder sua sombra em Londres, no quarto de Wendy e seus irmãos, João e Miguel, Peter se vê obrigado a apresentar-se à moça, que se encanta em conhecer o protagonista de suas incríveis histórias. Considerado pela crítica como “a melhor produção de teatro para todas as idades”, Peter Pan é um grande espetáculo, um apelo ao sonho e a imaginação.

Os ingressos para o musical Peter Pan custam R$ 60,00 (inteira) e R$ 30,00 (meia). A casadinha custa R$ 50,00 e estão à venda na loja ETC & TAL, na Academia de Teatro CITM e na Loja Dyllamara Confecções.